131 anos – de Tradição e Modernidade

de Hotel Caxambu / terça-feira, 11 agosto 2015 / Publicado em Serviços

Reportagem da Revista Sebrae Minas – Passo a Passo.

Hotel centenário é exemplo de empreendedorismo e contribui para o fomento do turismo no território Águas da Mantiqueira de Minas

Com mais de um século de tradição, o Hotel Caxambu, localizado na cidade de mesmo nome, famosa pelas estâncias hidrominerais, é o estabelecimento mais antigo do ramo em funcionamento noBrasil.  A história e o ar bucólico de suas construções são os principais atrativos para quem busca momentos de descanso e lazer.

Mas, diante das mudanças atuais no gosto do consumidor e a maior competitividade, especialmente com outros destinos turísticos, como permanecer no mercado e manter o pleno crescimento? “Com conhecimento e disposição para inovar e empreender.” Essa é a avaliação de Amaro Gadbem, que, há 22 anos, administra o Hotel Caxambu.

Para aperfeiçoar os serviços prestados, ele buscou o auxílio dos consultores do Sebrae Minas, que, após a realização de um diagnóstico, desenharam um plano de modernização da estrutura e gestão do hotel que preservasse a sua tradição. “OHotel Caxambu tem uma estrutura enorme e uma fachada histórica que valoriza muito a região. No entanto, os hóspedes se perdiam nos ambientes devido à sinalização ineficaz, e a marca não comunicava ao mercado a realidade do empreendimento”, explica a analista do Sebrae Minas, Ticiana Tranqueira Malta.

revista-sebrae-minas

Ciente da necessidade de investir nessas melhorias, Amaro Gadbem ingressou no programa Sebraetec, em que teve acesso a diversas soluções tecnológicas com foco em processos, marketing e comunicação com clientes e fornecedores. “A consultoria in loco foi o principal diferencial. O consultor avaliou de perto as nossas deficiências e diferenciais e nos ensinou aqui dentro”, ressalta o administrador. “Primeiramente, o foco foi a gestão do negócio: refizemos o planejamento estratégico em consonância com os nossos valores e frequentamos aulas de gestão de pessoas, gestão financeira e consultoria em vendas. Foi uma preparação para que o negócio se solidificasse ainda mais e fosse mais assertivo.”

O Hotel Caxambu chama atenção pela sua grandeza: são 61 apartamentos, além de restaurante, piscinas, saunas, fitness center , bares, lavanderia, playground, sala para reuniões e garagem. Os hóspedes também contam com o Centro de Lazer Pingo D’Água, em um sítio a 3 km do hotel, e serviço opcional de babá; nas férias e feriados prolongados, há monitores para recreação e serviços de massagem e estética. O famoso Parque das Águas fica a 400 m do hotel. Com tantos atrativos, o consumo de energia elétrica é bastante elevado.

Para reduzir os custos, foram implementadas algumas ações pontuais dentro do projeto Eficiência Energética, que integra o Sebraetec: troca das geladeiras industriais por aparelhos domésticos, do maquinário da lavanderia por um modelo mais eficiente e da iluminação por lâmpadas de LED. Essas mudanças foram responsáveis pela redução de 16%de energia elétrica.

Os serviços prestados pelo restaurante do estabelecimento, o Le Jardin, também foram avaliados pelo projeto Cinco Menos que São Mais , que visa aumentar a competitividade das empresas a partir do consumo consciente de insumos. Um dos problemas apontados dizia respeito à máquina de cortar frios, que, por estar desregulada, produzia tamanhos de cortes acima do padrão. A disposição na travessa também foi alterada, facilitando o acesso dos hóspedes. As adequações simple possibilitarama reduçãode30%daquantidade de presunto e queijo servida no café da manhã. “Isso não significa que os hóspedes passaram a ter um serviço pior, pelo contrário, agora estamos servindo de maneira mais eficaz”, afirma Amaro Gadbem. Outra mudança foi em relação ao consumo de água na cozinha, que caiu em40% com a instalação de um adaptador na torneira.

Comunicação visual I A mudança mais impactante, porém, está relacionada à reestruturação da identidade visual do hotel. A sinalização, quase inexistente, impedia o fluxo dos hóspedes no prédio, que tem 4.900 m² de área construída. Com as melhorias, agora, todos os ambientes são devidamente indicados por placas. “A nova sinalização mescla azulejos pintados e placas de aço galvanizado. Esse posicionamento retrata a beleza da estrutura antiga, como toque do conforto moderno”, explica AmaroGadbem.

A nova logo do hotel também mostra sintonia com o projeto. A sigla HC, presente desde os primeiros anos de funcionamento, foi mantida, mas recebeu uma aura mais clean e minimalista e um círculo que agrega à marca o charme da tradição secular. Ela é exibida com orgulho na fachada, no piso da recepção, nos produtos impressos e em diversos outros espaços, incluindo o novo site. Reformulado, o espaço virtual ganhou um local específico para notícias relacionadas ao hotel e à cidade e um blog, onde são divulgados eventos da região. “Apesar de o hotel ser o mais antigo do Brasil em funcionamento, eu nunca explorei esse fato porque existia um receio de isso ser entendido errado e as pessoas pensarem que é um hotel velho. A mudança de identidade visual permitiu que conseguíssemos comunicar, desde a nova marca até a sinalização dos ambientes, que preservamos a beleza da estrutura antiga, mas que também oferecemos conforto e modernidade”, analisa o administrador.

Os resultados desses investimentos vieram rápido. Nas pesquisas de satisfação feitas continuamente ao longo de 2014, houve um aumento de 20% do conceito Ótimo no item Conforto interno, quando comparado com os dados de 2013, e o Atendimento foi o quesito melhor avaliado. No booking prescrire du viagra.com, site que reúne meios de hospedagem e tem classificações dadas pelos viajantes, o Hotel Caxambu aparece com a melhor nota da região: 8,7, classificado como Fabuloso. Tanta disposição em melhorar o negócio permitiu que Amaro Gabdem aumentasse a diária nominal média do três estrelas em 16,45% em um ano sem perder a taxa de ocupação. “Temos percebido, também, uma mudança no perfil do turista, que está disposto a gastar mais.” Com 34 funcionários diretos e, pelo menos, dez prestadores de serviço, o Hotel Caxambu recebe a maioria de turistas fluminenses: 35% dos hóspedes vêm do Rio de Janeiro, 30% são de São Paulo, 25% são mineiros, e os demais 10% pertencem a outras regiões do Brasil e do exterior.

Águas da Mantiqueira de Minas

As transformações pelas quais o Hotel Caxambu está passando, e que têm apresentado resultados tão evidentes, são fruto, principalmente, da disposição em inovar e enxergar a cadeia turística da região como parceira. “Nossa concorrência atualmente é global, a gente não compete só com vizinhos. O grande desafio é entender o destino turístico como parceiro, não como concorrente. Agente concorre com outros destinos, não com o hotel da mesma cidade. Quanto mais meios de hospedagem qualificados, mais turistas visitarão a região, o que impulsionará o turismo em todo o Circuito das Águas”, resume Amaro Gadbem, que também é presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Caxambu, diretor da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação e diretor do Caxambu Convention & Vistors Bureau. O projeto Águas da Mantiqueira de Minas, do qual o Hotel Caxambu participa, pretende fazer justamente isto: transformar toda a cadeia turística da região, que engloba seis municípios – Baependi, Caxambu, São Lourenço, Carmo de Minas, Lambari e Cambuquira. “Promovemos ações de capacitação em hotéis, restaurantes, cafeterias e fizemos o reposicionamento da região perante o mercado. Este ano, por exemplo, tivemos uma Rodada de Negócios. Foi a oportunidade de todas essas empresas conversarem, perceberem seus pontos em comum e fazerem negócios. O que queremos é que todo o território se fortaleça”, explica Ticiana Malta. “O que a gente considerava que poderia ser mais difícil era engajar as pessoas, mostrar a elas que é preciso se envolver nisso. E já estamos vendo muitos resultados positivos nesse sentido.”

Confira no Link abaixo a edição da Revista.

Sebrae Minas, Revista Passo a Passo.

TOPO